Não é de hoje que a Volkswagen mira no downsizing. Confira alguns detalhes do Gol 1.0 16v Turbo e do Up TSI.

Um dos objetivos do downsizing são motores de baixa litragem muito eficientes tanto em potência quanto economia. A Volkswagen foi uma das pioneiras no downsizing nacional, oferecendo no ano 2001 a versão do Gol com motor 1.0 16v turbo que rendia ótimos 112 cv. Potência alcançada apenas em motores da marca com litragem de 1.984 cc (2.0). O desempenho também era próximo, fazendo 0-100 km/h em 9,6 segundos com velocidade máxima de 192 km/h. O Gol 2.0 de mesma geração, levava 10,3 segundos de 0-100 km/h e velocidade máxima de 190 km/h.

O preço era convidativo por se tratar de um carro com motor 1.0 que, aproveitava a alíquota de IPI reduzida (10%). A economia não era apenas no valor do veículo, ele fazia 11,5 km/l de gasolina na cidade e 11,3 km/l para a Parati.

A demanda para o mercado foi boa, diferentemente dos “ap’s normais”, ele possuía reforços no bloco, jatos de óleo na parte inferior dos pistões. A VW continuou oferecendo a versão do Gol até 2004 e 11 anos depois, temos de novo um 1.0 Turbo VW, o Up TSI.

Veja Também:

Como Evitar Problemas com a Turbina de um Motor

VW UP : Guia de Como Diagnosticar e Resolver os Principais Problemas Crônicos!

VW Gol Turbo 2001 (foto: divulgação VW)
VW Gol Turbo 2001 (foto: divulgação VW)

Honrando a tradição

Assim como o Gol, o Up TSI inovou em sua construção. Ele possui um motor com injeção direta, algo usado em carros de categorias elevadas, no Brasil, ainda não utilizado em carros populares. Em sua construção, há também uma inovação, são apenas três cilindros, economizando o número de partes móveis do motor.

O consumo de ambos é muito parecido. O Gol fazia 11,5 km/h na gasolina em trechos urbanos e 16,5 km/l em trechos de estrada, segundo o fabricante. Testes posteriores, revelaram consumo urbano para 7,2 km/l e 13,3 km/l, porém, vamos considerar os dados do fabricante nesse caso, assim como para o UP.

Oficialmente, o consumo do Up fica em torno de 14,3 km/l na cidade e 16,3 km/l na estrada, ambos considerados utilizando gasolina para comparação com o Gol.

O Up gera menos potência que o Gol, 105 cv contra 112 cv do Gol, porém, mais torque, 16,8 m.kgf a apenas 1.500 rpm para o Up contra 15,8 m.kgf a 2.000 rpm do Gol. Isso reflete na aceleração um pelinho menor para o Up que fica na casa de 9,5 segundos de zero a 100 km/h. No peso, eles se equivalem também, em ordem de marcha, no Up, 987 kg contra 996 kg no Gol (2p).

Manutenção

O Gol possui algumas particularidades para se atentar, como a polia VVT, responsável pela variação do ângulo de ignição do comando de válvulas, a limpeza deve ser constante, pois costuma criar borra de óleo. O 1.0 16v era um motor que precisava de trocas de óleo regulares mais severas do que os outros motores da VW, falando em óleo, muitas vezes a turbina desse carro da aquela “fumada” devido o óleo fora da especificação do fabricante.

Motor Gol 1.0 16v T (foto: divulgação Volkswagen)

 

Motor 1.0 TSI 3 cilindros
Motor Up TSI (foto: divulgação Volkswagen)

 

Confira no canal do Doutor Carro sobre a manutenção do motor do Gol 1.0 16v Turbo

Já, o Up, há relatos dos modelos 2015 apresentarem falhas de funcionamento e vazamento no coletor próximo da turbina. Já a VW, emitiu um informe de ruídos vindos da bomba de combustível. Houveram problemas com o bico injetor até 2015. Segundo o Robson, da Made For Street, o sintoma apresentado eram falhas devido o gotejamento dos bicos injetores, causando falhas na marcha lenta e vibrando, sobretudo do ano 2015.

Preparação

Confira o vídeo de todos os detalhes do Up Tsi preparado na oficina Made for Street

UP TSI

A reprogramação do mapa de injeção, sem modificações físicas gera um ganho de 3 a 8 cavalos, conseguindo 120 e 125 cavalos medidos nas rodas.

Na Made For Street, o caso mais comum é a substituição da pressurização de plástico por uma de aço-carbono, incluindo uma válvula de alívio.

É colocado um filtro esportivo de alta vazão inbox, ou seja, dentro da caixa original do filtro do Up. “Não aconselhamos o uso de filtros cônicos pois onde ele fica é uma zona de muito calor”, segundo o Robson da M.F.S.

É feito também um “downpipe” que se trata na retirada do catalizador original, sendo substituído por um tubo em aço inox com diâmetro maior e um abafador esportivo.

Além dessas modificações físicas, há também a mudança do mapeamento da injeção eletrônica. Os valores novos de potência, chegam 135 e 140 cavalos nas rodas do carro, contra 117 cavalos medidos nas rodas do veículo original e 19 m.kgf de torque (medidos no dinamômetro da oficina).

Com o mapa de injeção novo feito na oficina, a curva de potência e torque se mantem más há o ganho para 135.9 cavalos nas rodas e 24,5 m.kgf de torque. Mudando também o atraso de pedal de acelerador eletrônico que é reduzido. Além disso, também a interferência do controle de tração nas largadas é reduzido. O mapa de injeção eletrônica no modo econômico e o mapa para funcionar com o carro a gasolina ou eta são mantidos.

Se feito tudo mais a troca da turbina pela turbina com eixo e rotores maiores, conhecida como “turbina híbrida”, os números chegam a 155 cavalos medidos nas rodas ou até mesmo, 160 cavalos de rodas. Porém não é aconselhado pelo Robson pela redução da vida útil das peças do carro.

Confira o vídeo de uma Parati 1.0 16v com nova turbina, a Garret GT 20

GOL 1.0 16V Turbo

As alterações no Gol 1.0 16v seguem a mesma linha do Up, porém, a tecnologia cobra seu preço e os ganhos no Gol são menores, gerando cerca de 110 cavalos medidos nas rodas, ou cerca de 132 cavalos no motor utilizando apenas um remapeamento de injeção. Claro que com investimentos maiores, troca de turbina, mudança de cilindrada, os ganhos podem ser muito maiores quando falamos em carros turboalimentados.

Confira o comparativo entre Up TSI e Gol 1.0 16v Turbo

Crédito da foto de capa: divulgação Volkswagen
Texto: Rafael Micheski

Encontre lojas que entregam peças relacionadas a matéria:

Motor
Filtro de ar
Pistões
Carburador
Escapamento

Comentários