Entenda como o óleo lubrificante limpa, refrigera e previne a corrosão das peças

A principal função do óleo lubrificante é de diminuir o atrito entre todas as partes móveis de um motor. Além disso, o lubrificante de possui outras funções que também são muito importantes para o funcionamento dos veículos.

Veja Também:

Qual o Óleo de Motor Correto? Saiba Como Decidir

Carro importado tem que usar óleo importado?

Acendeu a luz de óleo após trocá-lo? Não se desespere!

A imagem abaixo é uma representação do que a falta de manutenção do lubrificante pode causar em uma peça. Confira:

Importância da lubrificação dos motores
Diferença entre o motor lubrificado X motor lubrificado de forma incorreta

Fonte: Wikimedia

Escolher o lubrificante ideal para seu veículo não é tão difícil, mas para acertar na escolha e na compra é necessário saber antes quais são as outras funções dos óleos lubrificantes.

O óleo lubrificante é o responsável pela “limpeza” do motor, ele absorve os fragmentos resultantes do processo de combustão interna do motor.

Além disso, o óleo refrigera o motor por meio da transferência de calor e previne a corrosão das peças, evitando a entrada resíduos que poderiam ser prejudiciais para as peças.

Agora que você já sabe o impacto que esse óleo pode fazer no funcionamento do motor, veja qual lubrificante é o mais apropriado e como você deve usá-lo.

Classificação dos óleos lubrificantes

Apesar da vasta quantidade de óleos lubrificantes no mercado, todos eles obedecem a uma norma estabelecida pela Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE).

O principal critério verificado pela SAE é em relação a viscosidade do óleo, sendo uma importante propriedade dos fluidos, responsável pela resistência ao escoamento.

A viscosidade está relacionada à dificuldade com que o óleo poderá escorrer. Quanto maior viscosidade, maior será a dificuldade dele escoar, esta propriedade varia proporcionalmente à sua temperatura, quanto mais quente menor é a viscosidade.

Cada montadora define o grau de viscosidade do óleo que será usado naquele motor. Ao longo dos anos, as folgas entre peças foram mudando, cada vez mais, os motores modernos precisam de óleos com viscosidade menor. A Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE – Society of Automotive Engineering) os classifica a viscosidade de duas maneiras:

  • VERÃO (ou Summer do inglês): Sua viscosidade é medida para elevadas temperaturas (SAE 20, SAE 30, SAE 40, SAE 50 e SAE 60).
  • INVERNO (do inglês Winter) – Sua viscosidade é medida para baixas temperaturas (SAE 0W, SAE 5W, SAE 10W, SAE 15W, SAE 20W e SAE 25W).

Os lubrificantes de multiviscosidade são lubrificantes que tem estas duas características.

Como existem diferentes tipos de óleos lubrificantes, deve-se prestar muita atenção aos números na embalagem, pois são baseados na viscosidade do óleo a 100°C:

  • 0W até 25W – Escala de baixa temperatura
  • 25W até 60W – Escala de alta temperatura
Viscosidade dos óleos lubrificantes
Viscosidade dos óleos lubrificantes

Fonte: Egu motors

Tipos

Além da viscosidade, o tipo de óleo que será utilizado também é muito importante, portanto deve-se ficar atento ao realizar a escolha.

Quem define os tipos de óleo presentes no mercado é a Agencia Nacional do Petróleo (ANP)

Eles podem ser encontrados em três tipos:

  • Óleos minerais: podem ser de base parafínica, naftênica ou mista.
  • Óleos sintéticos: podem ser classificados em hidrocarbonetos, polialiléster, diéster, silicone, poliésteres perfluorado, fluor e fluorclorocarbonos.
  • Semissintéticos: o óleo semissintético utiliza base mineral com aditivos sintéticos, o objetivo dos óleos semissintéticos é ter o meio termo e melhorar o custo/benefício.

Veja Também:

Tabela de Lubrificação de veículos leves a partir de 2008, ACESSE AQUI!

Em relação ao óleo semissintético não é recomendado que seja feita uma mistura entre os óleos minerais e sintéticos, principalmente de fabricantes diferentes, porque o desempenho poderá ser comprometido em relação a aditivação, o que pode gerar depósitos indesejáveis, prejudiciais ao motor.

Na prática

Agora que você já aprendeu o que é viscosidade e os tipos de óleo lubrificante, qual é o ideal para o motor do seu veículo?

A primeira coisa que se deve saber é o tipo e óleo indicado pela montadora para o seu carro no manual do proprietário.

O uso de óleo inadequado pode trazer muitos problemas e reduzir drasticamente a vida útil dos componentes do motor. Se for usado, por exemplo, um óleo menos viscoso do que o recomendado pela montadora, ele pode não formará uma camada suficiente para impedir o atrito entre as peças.

Caso seja usado um óleo mais viscoso que o recomendado, mais energia será demandada da bomba de óleo, diminuindo sua vida útil além de possíveis problemas na partida a frio do motor.

Classificação dos Diversos Tipos de Óleo SAE
Classificação dos Diversos Tipos de Óleo SAE

Fonte: IPS

Além disso pode resultar em maior consumo de combustível e desgaste dos componentes que ficaram desprotegidos após o motor desligado, quando o óleo volta ao carter.

No manual do proprietário, é mencionada a viscosidade SAE e o tipo de serviço, na qual pode vir em uma dessas duas classificações: S ou C.

S: É da palavra spark, que significa faísca em inglês. Corresponde então ao tipo de lubrificante que se usa em motores a álcool ou gasolina.

C: É da palavra Compression, que significa compressão em inglês. É usado então aos motores diesel.

Talvez você já tenha ouvido falar dos aditivos, que podem melhorar o desempenho do lubrificante, principalmente quando há mais demanda do motor. Os aditivos mais comuns são os anti-corrosivos, antiespumantes e detergentes.

Como é feita a lubrificação das paredes dos cilindros
Como é feita a lubrificação das paredes dos cilindros

Fonte: Fazer facil

Mineral ou sintético?

A dúvida mais habitual entre os usuários são sobre qual óleo tem a maior durabilidade e qual tipo é mais eficiente para ser usado. Confira:

O óleo mineral atende especificações dos fabricantes mas é importante garantir via indicação do manual. Na classificação SAE, os aditivos dos óleos foram evoluindo, sendo classificados pela segunda letra (SJ, SL, SM, etc), os óleos minerais costumam ter classificação até o SL, ou seja, é o ponto máximo de evolução em termos de aditivos. Por esse motivo, a recomendação das trocas de óleo mineral é com quilometragem menor que dos óleos sintéticos e semissintéticos.

Os óleos sintéticos e semissintéticos possuem classificação de aditivação melhor que os minerais (SM e SN), portanto, tem periodicidade de trocas maior do que o óleo mineral pois oferecem maior proteção contra depósito de resíduos (borra). Recomenda-se que os óleos sintéticos sejam associados a um bom combustível para garantir a preservação de suas propriedades e aditivos.

Veja Também:

Veja a diferença de Viscosidade entre os Óleos Lubrificantes!

Como se troca o óleo de câmbio da BMW 325I E36?

Se uma gasolina de uma qualidade duvidosa for usada, ela poderá gerar substâncias que tiram a efetividade do óleo.

Porém a principal recomendação por quem entende do assunto é que o consumidor siga as orientações do manual do proprietário.

Diversidade dos Óleos Lubrificantes
Diversidade dos Óleos Lubrificantes

Fonte: Mecânica Agrícola Imigrantes

Não tem nenhum problema em mudar a marca do lubrificante, mas é importante que o tipo do lubrificante seja mantido.

Entre semi-sintético e o mineral, a eficiência não tem muita variação, porém o semi-sintético é um pouco mais caro.

Quando trocar?

A média de duração dos óleos minerais é 3 mil quilômetros. Os óleos semissintéticos, 5 mil quilômetros. Os óleos sintéticos, 10 mil quilômetros.

É importante lembrar que alguns carros importados precisam de atenção às trocas. Muitos manuais não foram tropicalizados e recomendam trocas mais espaçadas com 15 até 20 mil quilômetros. O clima quente e o trânsito no Brasil não nos permite uma periodicidade tão alta, sendo esse o motivo de muitos carros novos acabarem com problemas graves de borra e sedimentos no motor. Recomenda-se fazer as trocas entre três e dez mil quilômetros, ou mesmo a cada 6 meses, o que acontecer primeiro.

Verifique o nível
Verifique o nível (foto: Shutterstock)

Como verificar o nível do óleo?

Para saber o nível do óleo lubrificante, verifique no manual do seu veículo qual o local da vareta medidora.

Passo a passo:

  1. Retire a vareta de óleo;

  2. Faça a limpeza do instrumento com um pano;

  3. Coloque-o novamente no local de onde saiu, retire e leia o nível;

  4. O nível deve estar entre as marcas de máximo e mínimo indicadas.

Faça a medição em um local plano. O nível do óleo na marcação máxima (nem acima, nem abaixo) vai assegurar que a bomba de óleo trabalhe nas suas condições ideais de sucção e circulação do fluido, que é levado para a parte superior do motor (cilindros, cabeçote e outras partes que necessitam de óleo circulando).

Vareta de nível do óleo
Vareta de nível do óleo

Fonte: Nomolito nimbus

Caso o veículo apresente ruídos fora do comum é possível que o óleo utilizado durante a troca de óleo esteja fora das especificações definidas pelo fabricante.

Alguns motores com quilometragem alta, costumam consumir óleo, que acaba passando para a câmara de combustão devido a folgas nos anéis e retentores de válvulas. Recomenda-se que o óleo seja completado, com o mesmo lubrificante usado na última troca. Lembre-se que esse procedimento não elimina a exigência da troca completa do óleo na data e quilometragem definida, o óleo novo que é usado para completar o nível, se mistura com o óleo velho e dilui suas propriedades e aditivos.

Faça a checagem do nível do óleo ao menos uma vez por mês quando o motor ainda está frio.

Aprenda a verificar o nível de água e do óleo do motor do carro do canal worldnewsbrasil

Por dentro das siglas

Uma série de normas para a classificação de lubrificantes foram criadas por entidades internacionais baseadas em testes específicos. Confira abaixo como a Lubrax explica a função de cada uma delas.

Principais normatizadorasPrincipais normatizadoras

Fonte: Canal Da Peça

Veja como funciona a lubrificação do motor do canal Motor1 Brasil !

Veja também: Guia completo – Tudo sobre óleo de motor do Canal da Peça (Parte 1)

Veja também: Guia completo – Tudo sobre óleo de motor do Canal da Peça (Parte 2)

Créditos foto de capa: Tim Mossholder / Unsplash

Crédito do texto: Salão do Carro , HD Lubbrificantes, Total BR e Lubrifrança

Encontre lojas que entregam peças relacionadas a matéria:

Óleo Lubrificante de Motor
Filtro de Óleo Lubrificante
Bomba de Óleo Lubrificante
Varetas do Óleo Lubrificante
Graxas

Comentários